Santo Antão

Santo Antão é de uma beleza deslumbrante. És um atleta de elite e treinas todos os dias? Depois, tira uma tarde de descanso ocasional. Faz exercício de manhã cedo e depois, às 9h30, apanha um autocarro para a parte verde da ilha ou para a aldeia piscatória a oeste. À noite, regressa a tempo de assistir a um jogo de treino.

Não és um atleta de elite, mas queres umas férias desportivas? Depois, não deixes de apreciar toda a beleza que a ilha tem para oferecer. Santo Antão é especial. Isto deve-se principalmente às montanhas, às planícies, à temperatura e ao vento. Existe um microclima, pelo que a ilha pode ser dividida em três secções. Recomendamos que fiques pelo menos 2 noites por semana fora da nossa estância. Estamos orgulhosos da nossa estância, mas a ilha tem realmente muito mais para oferecer e para aproveitares ao máximo.

 

Locais a visitar

Cova, a cratera ao longo da antiga estrada que liga Porto Novo à Ribeira Grande. É mais agradável em condições de céu semi-encoberto. É fantástico ver as nuvens a rolarem sobre as encostas das montanhas até ao vale.

Lagoa, o planalto tranquilo, onde te afastas realmente da vida apressada a que estamos habituados. É agradável ler um livro, escrever um livro, escrever música ou simplesmente não fazer nada.

Paul é, de longe, o local mais visitado da ilha. A água das montanhas e a água do ar asseguram que aqui está sempre verde. A partir daqui, podes fazer inúmeros passeios.

A Ribeira Grande é a capital da ilha e o único sítio que não é tranquilo. A partir daqui, as estradas e, consequentemente, as carrinhas dividem-se em vários locais nas partes norte e leste da ilha.

Ponto do Sol, a ponta mais ensolarada do lado norte da ilha. Uma aldeia piscatória, onde o peixe é apanhado, comercializado e consumido.

Fontainhas, uma aldeia muito bem localizada a uma curta distância a pé da Ponta do Sol. Uma vez declarada a vista mais bonita do mundo. Se o é…..? Mas bonita é de certeza.

Cruzinha, de onde podes fazer belos passeios ao longo da costa norte acidentada.

Alto Mira. Apenas a estrada até lá; afloramentos rochosos.

Lagedos: O Grand Canyon de Santo Antão

Norte: A parte seca da ilha.

Tarrafal de Monte Trigo: Uma aldeia de pescadores que só nos últimos anos tem sido facilmente acessível. Devido à sua localização atrás das montanhas, quase não há vento e o oceano parece uma lagoa. Passa aqui a noite e, no dia seguinte, caminha até ao Monte Trigo.

Monte Trigo, acessível apenas a pé e de barco. Muito especial.

Tope de Coroa. O vulcão e também o ponto mais alto de Santo Antão. Se estás em forma, fá-lo! De Porto Novo, cerca de 1,5 horas de carro e 2,5 horas de caminhada. E depois tens de voltar para trás.

 

Hotéis na ilha

Os grandes hotéis são poucos, mas há muitos pequenos hotéis e pensões. Se o luxo é secundário em relação a um acolhimento caloroso e se gosta de entrar na vida dos habitantes de Santo Antão com palavras e mãos soltas, pode facilmente passar 2-3 semanas a divertir-se em Santo Antão. Fazer uma viagem de ida e volta ou ausentar-se por alguns dias de cada vez. As malas podem ser deixadas connosco na cave.

Porto Novo:

Hotel Beach Sport. Especialidade: Desportos (de praia). 92 camas. E um local logístico perfeito para umas férias desportivas.

Nova Cidade:

Hotel simples mas funcional. Muito perto do porto, ideal para quem quer apanhar um barco cedo para São Vicebte na manhã seguinte.

Estância Artística: Especialidade: Arte. Vimos algumas críticas negativas, mas este é realmente um bom hotel. Bem, que corresponda sempre às elevadas expectativas do hóspede; pouca arte.

Paulo:

Hotel Chateau Georgette: O mais bonito de Santo Antão. Tens de gostar dela, mas podes ver em tudo o que a proprietária a fez como queria. Que maravilha!

Ponta do Sol:

Djassi: Simples e bom.

Tiduca: grande e luxuoso

Cruzinha:

Questel BronQ: Estância acolhedora com bonitas casas redondas. Em março, poderás ver baleias.

Mamiwata: Estância ecológica. Quartos isolados/conectados construídos contra a encosta de uma montanha. Quartos simples mas agradáveis. Vistas espectaculares e bonitas. Comida deliciosa. (Mimiwata foi construída pelo mesmo empreiteiro que a nossa estância Beach Sport; Qualidade!)

 

Palmera Ecolodge: Pessoalmente, não posso classificá-lo, mas, segundo alguns proprietários de outros hotéis, este é o hotel mais bonito da ilha. Só podes entrar com convidados!

 

Mindelo em São Vicente

99% dos hóspedes chegam a São Vicente vindos do estrangeiro de avião; você também chegará. Em seguida, apanhará um barco para Santo Antão. Dizem que até podemos ver golfinhos e baleias, mas depois de navegarmos 20 vezes para a frente e para trás, chegamos à conclusão de que é uma viagem divertida e que já vimos peixes voadores, mas o Jonas e o Flipper nem sempre têm vontade de o fazer.

Um erro comum é ficares em São Vicente durante alguns dias e só depois partires para Santo Antão. Em retrospetiva, teríamos preferido ficar mais tempo em Santo Antão e regressar o mais tarde possível. Os cabo-verdianos da Europa, em particular, estão cada vez mais confiantes na ligação por barco e só regressam de barco no dia do voo de regresso. Isto é possível se voares apenas depois das 13 horas. Depois apanha o barco das 9:00 da manhã. Perde esse barco; então vai às 10:00 da manhã. Depois, certifica-te que dormes connosco ou no hotel Nova Cidade na última noite.

Na verdade, é mais inteligente ires a Santo Antão por alguns dias e só aí decidires quando regressar a São Vicente. Em seguida, vai para o aeroporto sem pressas. Um bom hotel em Mindelo é o Hotel Ouril, perto do barco.

Seria uma pena não ir a São Vicente. A natureza é bela, mas não ao nível de Santo Antão. No entanto, a cidade do Mindelo é movimentada. O Mindelo é simplesmente mais avançado, mais moderno. Se gosta de bares e restaurantes acolhedores, pode optar por passar um dia no Mindelo depois de chegar e/ou antes de deixar Cabo Verde. Pense nisto antes de reservar quartos. Além disso, permite descansar um pouco mais no dia do voo de regresso.